21/12/2017 - Atualizado em 21/12/2017
Um Talento Solidário

Arte que torna o mundo um pouco melhor: Vencedor catarinense do Talentos 2017 propõe reflexão contra violências e doa prêmio para orfanato

Com uma obra sensível sobre maus-tratos contra criança, Fabiano Ribeiro trouxe para Santa Catarina o primeiro lugar no concurso nacional Talentos 2017, na categoria Desenho e Pintura. No entanto, o olhar do autor está voltado para algo além do prêmio. Para o bancário de Lages, na Serra Catarinense, o Talentos foi a oportunidade de chamar a atenção -por meio da Arte- para as violências cometidas contra aqueles que apresentam poucas chances de defesa. O valor do prêmio será doado a um orfanato.

A final do Talentos Fenae/Apcef foi realizada no dia 8 de dezembro, em Curitiba (PR). Fabiano foi premiado com a obra que faz parte da coleção “Pequenos Maus-Tratos”. A tela, desenhada à caneta nankin retrata um pai que rejeita a deficiência do filho, para quem dá as costas.

Voltado para uma Arte mais social, Ribeiro contou que seu objetivo não é resolver os problemas do mundo, mas ao menos, provocar a reflexão da sociedade para gestos que magoam e traumatizam crianças. Ao usar sombras, o autor espera levar expectador ao lugar do adulto retratado com escura tinta. “Fazer pensar é o papel da Arte”, enfatizou. A obra vencedora faz parte de uma coleção de 11 peças. Fabiano ainda completará a coletânea com mais 4 telas. O conjunto será leiloado em 2018 e os recursos serão doados ao orfanato onde Fabiano é voluntário. Levará a obra quem fizer a maior doação para uma instituição de acolhimento.

“Havia uma pequena expectativa, mas, sinceramente, eu não esperava vencer”, disse o autor, que é formado em Artes Visuais, trabalha na Caixa na cidade de Lages, onde nasceu, e faz pós-graduação em Gestão de Pessoas. Ao garantir o primeiro lugar no Talentos, Ribeiro ganhou pontos no Mundo Caixa, no valor de R$ 4 mil. No entanto, ele não fará uso do prêmio. O valor será revertido em produtos para o orfanato que atende 20 crianças. “Seria contra meus princípios usar em meu benefício o fruto de uma ação que tem por objetivo melhorar as condições de quem sofre maus tratos de alguma forma. Além do mais, minha condição de vida não é fantástica, mas é boa”, ressaltou em tom de gratidão.

Fabiano tem 35 anos, é músico e desenha desde criança. Também fotografa. Ele contou que almeja tratar de temas como idosos e meio ambiente em suas futuras obras e que, pretende adotar uma criança quando formar sua própria família.

Por meio da Arte, Fabiano cumpre o que acredita ser seu papel na sociedade. E o Talentos, além de levar a expressão artística dele para todo o Brasil, marcará a vida das crianças que serão atendidas com o valor do prêmio. A Arte é ilimitada e por meio dela é possível construir boas pontes.

 

Fabiano e Ana Lívia