Histórico

Associação do Pessoal da Caixa Econômica Federal de Santa Catarina foi fundada no dia 02 de maio de 1960. Transcorria o Governo do Presidente Juscelino Kubitschek de Oliveira. Preparava-se a campanha eleitoral para a eleição do novo Presidente da República. Os políticos faziam o levantamento dos cargos públicos vagos nas repartições para aquinhoarem os seus cabos eleitorais e apadrinhados políticos donos de currais eleitorais. A Caixa Econômica Federal de Santa Catarina passou a ser muito visada, pois o seu quadro de pessoal tinha muitos cargos em comissão, cargos isolados de provimento efetivo e também cargos de carreira que eram preenchidos sem concurso público. Naquele tempo as Caixas Econômicas Federais eram autarquias regionalizadas, uma em cada Estado da Federação, independente, porém fiscalizadas pelo Conselho Superior das Caixas Econômicas Federais, com sede no Rio de Janeiro, então capital da República.
O regime de pessoal do Conselho Superior e das Caixas Econômicas obedecia a Lei 1711, Estatuto dos Funcionários Públicos Federias.

Nos Estados, as Caixas Econômicas Federais eram dirigidas por um conselho Administrativo composto de três membros, sendo um o seu Presidente, um Vice e um Vogas, com mandato de quatro anos, nomeados pelo Presidente da República e indicado pelos diretórios partidários locais, Tornava-se, pois, vulnerável aos políticos a nomeação por meio dos famosos”cartões “ de padrinhos políticos. Quando começam as nomeações para os cargos comissionados e cargos isolados de provimento efetivo, os funcionários do Quadro de Pessoal sentiram-se ameaçados, pois alguns deles já exerciam os cargos como substitutos a algum tempo, alguns amparados por Lei e se vendo alijados daquilo que tinham direito.

Funcionários mais antigos também se sentiam na obrigação de reivindicar os cargos, pois era a maneira mais justa de serem recompensadas pelo trabalho duro daquela época, quando as promoções por merecimento ou tempo de serviço eram mera utopia. Santa Catarina era o único Estado da Federação cujo Pessoal da CEF ainda não possuía a sua Associação. Daí nasceu a necessidade de ser criado um órgão representativo da classe que tivesse a força de um Sindicato, pois os Sindicatos eram proibidos pela Lei para os Funcionários Públicos.

Na época tínhamos um Grêmio, mas em atuação e em personalidade jurídica, que só se reunia uma vez por ano particular da páscoa dos bancários, pois antes do Sasse éramos contribuintes do instituto dos Bancários, o ex IAB.
A idéia, já amadurecida, de se fundar um órgão de classe, agora apressada por desmandos políticos que prejudicavam a todos os funcionários, acelerou a criação de uma associação. Assim, no dia 02 de maio de 1960, tomamos a iniciativa de conclamar nossos colegas a uma reunião, após o expediente normal, para tratarmos da fundação de nosso órgão representativo da classe junto às administrações superiores.

Às dezoito horas e dez minutos daquele dia subimos ao andar superior da então sede da Caixa Econômica Federal de Santa Catarina, na rua Conselheiro Mafra número 60 e, sem qualquer formalidade, declaramos fundada a Associação do Pessoal da Caixa Econômica Federal de Santa Catarina – APCEF/SC.
Com alguns cruzeiros doados pelo colega Nairto da Silva, compramos livros de presença e atas. Solicitamos ao colega Amauri Farias Ramos que abrisse o livro de presença, assinando no número um e eu assinando no número trinta e nove, encerrando a assinatura dos fundadores.

* Arnaldo Tavares, hoje aposentado, presidente da APCEF/SC nos anos de 1963 e 1964.

Fundadores:

Ademar Carvalho
Amaury Farias Ramos
Anísio Evaristo de Souza
Ari Silva
Arnaldo Tavares
Bruno Francisco Germann
Dagoberto Dornbusch
Dario Fernando Paranhos Pederneiras
Edgar Della Giustina
Edgar Lopes Silva
Eduardo Silveira
Elmo Leal Coelho
Emy Dácio Câmara da Silva
Gladstone Paladino Filho
João Batista de Oliveira
Luiz Carlos Machado
Maria Laura Callado
Mário Jorge da Costa
Miguel Digiácomo
Nairto da Silva
Osni Nunes
Roberto Guilherme Steinmetz
Romeu Estêvão Gonçalves
Ruy José da Silva
Salim Mansur Neto
Valdir Brasil
Walter Clímaco